Davi poupa mais uma vez a vida de Saul

(I Samuel 26)

Ao final do primeiro encontro entre Davi e Saul depois de tantas perseguições, o rei despediu-se do filho de Jessé com lágrimas nos olhos e protestos de grande arrependimento. Davi não acreditou muito, como vimos, mas mesmo assim relaxou um pouco. Primeiro arrumou tempo para se casar com duas mulheres. Depois, cansado de tanto zanzar por todo canto, resolveu voltar a Zife, o lugar do encontro fatídico. Reinstalou-se, portanto, no monte Haquila com seus rebeldes.
Os homens de Zife, porém, sedentos de recompensa, foram até Gibeá para contar a Saul que Davi voltara. O rei, maluco que era, já se esquecera das lágrimas e das promessas de reconciliação: arregimentou novamente os três mil soldados e partiu para Zife. Quando chegaram ao monte Haquila já era noite, e Abner achou melhor acampar no sopé do monte e subir assim que o dia amanhecesse para atacar os cangaceiros de Davi. Ajeitaram-se, pois, com Saul e Abner no meio do acampamento e os três mil soldados em volta, de forma que o rei e seu general ficassem protegidos e pudessem dormir o sono dos justos, mesmo que não o fossem.
Davi, que estava no deserto, ouvira dizer que Saul viera atacá-lo. Não acreditou no boato e enviou espias ao sopé do monte, os quais confirmaram a notícia. “Merda”, ele pensou, e resolveu ir ele mesmo até lá para ver com que força Saul pretendia atacar dessa vez. Chegou ao acampamento, viu os três mil homens dormindo, e voltou para sua fortaleza natural no alto do monte. Acima das cavernas onde seus homens dormiam estavam as duas sentinelas do turno, Aimeleque, o heteu, e Abisai, irmão de Joabe (um sujeito que ainda será importante). Chamou-os:
— Ei! Saul está acampado lá embaixo!
— Eita! Veio pescar?
— No meio do deserto, pedaço de asno?
— Ah, é. Mas veio fazer o quê, então?
— Veio foder com a minha vida.
— Aí sim. Isso é mais a cara dele.
— Vou descer até lá para ver a situação mais de perto. Qual de vocês vai comigo?
— Eu vou.
— Muito bem, Abisai. Aimeleque, você dá conta do serviço sozinho?
— Mas é claro, majestade.
— JÁ FALEI PRA NÃO ME CHAMAR ASSIM!
— Epa, foi mal.
— Humpf. Vamos, Abisai.
Os dois desceram até onde o inimigo estava. Os soldados do rei dormiam um sono pesado, e os dois conseguiram chegar até o centro do acampamento, onde dormiam Saul e Abner. Saul dormia com sua lança cravada ao lado da cabeça. Ao ver situação tão propícia, Abisai cochicou no ouvido de Davi:
Deixa comigo, Davi.
— O quê?
— Javé colocou seu inimigo nas suas mãos. Com um golpe só eu atravesso o feladaputa e espeto ele na terra!
— Mais respeito, moleque! Esse homem é maluco, é mau-caráter, é filho-da-puta.
— Er… Só não entendi a parte do respeito, Davi.
— É que apesar de tudo isso ele foi escolhido por Deus para ser rei de Israel. Que Deus o mate quando bem entender, mas nós não faremos nada.
— Nada? Nada, nada?
— Bom, quase nada. Pega aí o jarro de água do rei, eu fico com a lança.

Os dois assim fizeram, e foram saindo do acampamento tão silenciosamente quanto entraram. Quando já estavam a uma distância segura, Davi voltou-se para o acampamento e gritou:
— ABNER! TÁ ME OUVINDO, CABRA SAFADO?
Abner acordou assustado, mas logo se recompôs e berrou de volta:
— QUEM É O DESGRAÇADO QUE VEM GRITAR AQUI, NO ACAMPAMENTO DO REI?
— Abner! — o negócio continuava na base da gritaria, mas eu é que não vou ficar escrevendo em caixa alta aqui — Você é homem ou não é? Acho que não, sua biba! Não dizem que você é o melhor soldado de Israel? Pois eu imagino como deve ser o pior! Seu único dever é proteger o rei, e você não dá conta nem disso! Você é um bosta, Abner! Você e todos esses soldadinhos de merda aí! Vão morrer todos por não protegerem direito o rei ungido por Javé!
— Ué, proteger do quê? De algum maluco berrador? Vai pra casa curar essa bebedeira, e deixa a gente dormir!
— Cala a boca e me escuta! Onde está a lança do rei, hein? E o jarro de água, cadê?
— Estão aqui, oras! Não estão, majestade?
— Claro que… Epa. Não estão não. Que negócio é esse? Ei, eu conheço essa voz. DAVI? É VOCÊ, MEU FILHO?
— Sim, senhor, sou eu! Por que é que o senhor continua a me perseguir? Isso já tá chato, majestade! Se foi Javé quem fez o senhor se voltar contra mim, ofereça um sacrifício a ele e está tudo certo. Nossa sorte é que temos um deus subornável. Agora, se outras pessoas fizeram isso, que a maldição de Deus caia sobre elas, que elas se fodam e que o meu pau cresça!
— Precisa mesmo, Davi! Depois daquilo que o Michelangelo fez…
— EU AINDA NÃO TERMINEI! O negócio é que, se o senhor continuar a me perseguir, serei forçado a fugir para outro país e adorar outros deuses. Por favor, senhor, não me deixe morrer longe da terra de Israel, que eu tanto amo! Por que o senhor continua perseguindo esta mísera pulga? Por que me caça como se eu fosse um pássaro selvagem? Ou um jumento bravo? Ou… Ou um… Ou um, sei lá, um camaleão pardo de patas amarelas? Ou mesmo um… Um…
— Ok, Davi, já entendi. Eu sei que errei. Volte, meu filho! Prometo que nunca mais lhe farei nenhum mal, porque esta noite você poupou minha vida mais uma vez. Eu tenho agido como um maluco!
— Grande novidade…
— O que disse, meu filho?
— Nada, nada. Só pensando alto. Continue, majestade.
— É isso. Eu cometi um grande erro. Perdoe-me, filho!
— Olha, senhor, aqui está sua lança. Mande algum de seus homens vir buscá-la. Eu vou voltar para o meu buraco. Mas lembre-se sempre de que hoje eu poupei sua vida. Que Javé poupe a minha também, continuando a me proteger como tem feito.
— Ah, meu filho, que Deus o abençoe! Você é um bom rapaz, e tudo o que fizer dará certo. Está ouvindo, Davi? Davi? DAVI! Caceta, foi embora…

Diga aí

8 comentários

  1. hehehehe “Nossa sorte é que temos um deus subornável”. Pegou pesado hein??

    Tem gente q diz q o Deus do velho testamento é bem diferente do do novo testamento, já leu sobre isso?

  2. Deus com letra minuscula de novo ?

    Ahhhhh sim, foi so um lapso, claro !

    Sandro “tem gente que diz que sao diferentes” aff e precisa alguem dizer isso ? Isso e mais claro do que a agua que bebe um camaleao pardo de patas amarelas !

    Alias Marco, ja pensou em falar mais sobre isso por aqui ?

    Voce tem um embasamento legal para falar sobre o asunto de uma forma que nao pareca um sermao !

    Ps.: Droga, preciso parar com essa dieta calorica de acentos e comprar outro teclado !

  3. Zen, grafei deus com minúscula porque, no trecho, Davi fala de um deus genérico e não usando a palavra como nome próprio. “Nós temos um deus subornável, os filisteus têm um deus feio, os amorreus têm um deus bicha”. É isso.

Diga aí!