Os reis vencidos por Moisés e Josué

(Josué 12)

Bom, eu avisei: a partir de agora o livro de Josué fica uma chateação sem fim. Este capítulo, por exemplo, não passa de uma enumeração dos reis derrotados por Moisés a leste do Jordão e por Josué a oeste. A lista começa com Seom, rei dos amorreus da região de Hesbom, primeiro a se bater com os israelitas. Levou a pior contra o exército comandado por Moisés, assim como Ogue, rei de Basã, que — ficamos sabendo agora — foi o último dos refains, outra raça de gigantes. Depois de Ogue… Hum… É, isso encerra a lista dos reis derrotados por Moisés. Produtividade zero a desse velho gago, não foi à toa que Javé tratou de fazê-lo peidar no fubá no alto do Monte Nebo para substituí-lo pelo sanguinário Josué.
E Josué, sim, trabalhava do jeito que Javé gosta, quadrinho de “Funcionário do Mês” sempre. Conquistou toda a região a leste do Jordão, derrotando os reis de Jericó, Ai, Jerusalém, Hebrom, Jarmute, Laquis, Eglom, Gezer, Debir, Geder, Horma, Arade, Libna, Adulã, Maquedá, Betel, Tapua, Héfer, Afeca, Lasarom, Madom, Hazor, Sinrom-Merom (que nome legal!), Acsafe, Taanaque, Megido, Quedes, Jocneão (perto do monte Carmelo), Dor (ui! — cidade litorânea), Goim (que ficava no que mais tarde viria a ser a Galiléia) e Tirza — Ufa!. Trinta e três reis. É mole?
Pois então, mas por que se fala em reis derrotados, em vez de cidades conquistadas? Simples: nem todos os reis que perderam batalhas para os israelitas perderam suas cidades também. O exemplo mais importante é o de Jerusalém que, pelo que eu me lembre, só passou definitivamente às mãos de Israel no reinado de Davi. Mas isso ainda está longe, tenham calma. Por enquanto vamos ver como foi repartida entre as tribos a terra há muito prometida.

Diga aí

9 comentários

  1. Teria sido melhor emendar esse capitulo 12 com o 11. É curto demais.

    Bem que eu acho que isso de massacrar todo mundo é conversa de pescador para se valorizar. De vez em quando, um povo que foi totalmente massacrado aparece do nada com um poderoso exercito para não sobra ningúem de novo… Acho que esses massacres não eram tão impressionantes assim não, na vida real.

    Depois tem “Juizes”. É muito melhor que “Josué”.

  2. Olha, seu Marcurélio, eu devo ser um grande mongo mesmo, porque eu não vejo aonde eu tenha ofendido alguém, ou prejudicado alguém, ou estragado o prazer de alguém.

  3. Os últimos capitulos de carnificina foram legais. Deviam fazer versões para o cinema. Em vez de falar sobre a história de Moises, os dez mandamentos, deviam fazer um filme sobre Josué.

    Enfim, por causa do blog eu comecei a ler a Bíblia, no virtualbooks do terra. Tenho encarado a Bíblia não como um livro sagrado, mas como se fosse um Senhor dos Aneis. Na verdade acho que um filme sobre Josué seria parecido com Senhor dos Anéis, com batalhas grandiosas e tal.

  4. hehehe gostei:

    “E Josué, sim, trabalhava do jeito que Javé gosta, quadrinho de “Funcionário do Mês” sempre.”

    Para mim Josué foi o maior pelego que existiu em toda a história!!! Aff…

  5. Mais respeito espíritos!!! Quando se trata da Palavra de Deus. é Palavra santa; essa conversa infame de vocês, encostos malignos,fica para quem quiseres. Deus é Deus, é perfeito, justo Juiz e o todo poderoso. Vocês precisam ser batizados com o espírito santo, já se ver que não são e não temem a Deus.

Diga aí!