A morte de Miriã e a água de Meribá (Números 20:1-13)

Este é um capítulo deveras estranho. Começa dizendo que o povo de Israel foi para o deserto de Zim e acampou em Cades, e que ali Miriã morreu e foi sepultada. Só isso. Miriã, a irmã mais velha sem a qual Moisés talvez tivesse sido apenas um príncipe egípcio, Miriã que ajudou o irmão a fazer um som depois da travessia do Mar Vermelho. As mulheres não merecem mesmo muito destaque na Bíblia, ainda mais mulheres bocudas feito Miriã.
Bom, depois dessa menção en passant (é assim mesmo?) à morte da irmã de Moisés e Arão, ficamos sabendo que não havia água ali onde o povo estava. Então os israelitas começaram com o mesmo reme-reme de sempre: Ah, que aqui não tem água, Ah, que vocês nos tiraram do Egito para que morrêssemos no deserto, Ah, que merda, Ah, puta que pariu. Moisés e Arão, pobres coitados, foram até o Tabernáculo para perguntar a Javé o que deveriam fazer.
— O quê??? Esse povinho já tá reclamando de novo?
— P-pô, Ja-Javé, t-tenta e-entender. N-não t-tem á-água aqui n-nesse l-lugar.
— É um DESERTO, Moisés! O que você queria?
— M-mas s-sem á-água vai a-acabar m-morrendo t-todo mundo…
— Ai meu saco… Tá, tá, vou dar um jeito. Cê vai pegar a vara que está na frente da Arca, aquela que brotou e coisa e tal. Então você e Arão vão reunir o povo em volta daquela rocha ali e na frente de todos vocês vão ordenar à rocha que dê água. A água sairá da rocha e esse povo chato vai calar a boca. Entendeu, Moisés?
— E-entendi.
— E vê se faz tudo do jeito que eu falei. Não inventa.
Então Moisés pegou a vara…
Hehehehehe…
Calaboca, porra. Moisés pegou a tal vara e foi, juntamente com Arão, reunir o povo. Quando conseguiram um silêncio razoável, Moisés pronunciou-se:
— Ô p-povo b-bunda! S-será que e-eu v-vou ter q-que ti-tirar água d-dessa r-rocha p-para vocês c-calarem a b-boca?
Dizendo isso, Moisés bateu duas vezes com a vara na rocha, e dela saiu água suficiente para dar de beber a todo o povo e aos animais.
Que maravilha, não? É… Mais ou menos. Vocês não contavam com a veadagem de Javé:
MOISÉS, QUE PORRA FOI AQUELA???
— N-nem vem, Ja-Javé. F-fiz t-tudo do jeito que v-você m-mandou.
— Fez foi porra nenhuma! Do jeito que você fez parece que o milagre foi seu. E ainda bateu na rocha! Eu não mandei apenas ordenar à rocha que desse água? Cê tá querendo ser mais que eu, Moisés?
— L-longe de mim, Ja-Javé!
— Bah! Agora já decidi: Nem você nem Arão vão entrar na Terra Prometida.
— M-m-m-mas…
— E NÃO CHIE!
E assim foi decidido o futuro de Moisés: Conduzir um povo cabeça dura por um deserto desgraçado a troco de nada. É, pelo jeito deus não gosta de improviso… O lugar onde a pedra jorrou água foi chamado Meribá, que é “reclamação” em hebraico.
Peraí, ô Chicoteia! Acho que você já contou essa história…
Pois é. Já contei, vocês podem ler aqui. Mas não é culpa minha: a Bíblia repete mesmo a história do Êxodo 14, com alguns detalhes de diferença. Pra quem busca verossimilhança na Bíblia, tá aí um nó difícil de desatar.

Diga aí

5 comentários

  1. Muito 10.
    Deve ter acontecido exatamente como voce relata.
    A questão dos reclamadores (murmuradores) não mudou nada nesses 3 mil anose acho que vai ficar igual para os proximos.
    Também jogar toda responsabilidade para Deus é mais do que comum em toda humanidade, como se as pessoas nao fossem responsaveis pelos seus atos.

  2. olha só precisava mesmo de um estudo porque estava fazendo meu devocional, realmente foi mais ou menos isso que você escreveu, porém melhora a forma como você se expressa é da bíblia que estamos falando então não xingue! não faz mais isso sério.

Diga aí!