Poema

Estou ouvindo (pela quarta vez hoje) o CD Olhos de Farol do Ney Matogrosso. O CD é muito bom, mas a música que eu mais ouço é Poema. Em 1974, aos 16 anos, Cazuza escreveu um poema para a avó. Quando ela morreu (anos depois da morte do neto), a família encontrou o poema e Lucinha Araújo, mãe do Cazuza, deu de presente para o Ney Matogrosso. Ele pediu ao Frejat que o musicasse e gravou.
Tenho esse CD desde 99. E sempre ouço essa música pensando na minha avó, a quem eu devo tudo.

“Poema”

Eu hoje tive um pesadelo e levantei atento, a tempo
Eu acordei com medo e procurei no escuro
Alguém com seu carinho e lembrei de um tempo
Porque o passado me traz uma lembrança
Do tempo que eu era criança
E o medo era motivo de choro
Desculpa pra um abraço ou um consolo
Hoje eu acordei com medo mas não chorei
Nem reclamei abrigo
Do escuro eu via um infinito sem presente
Passado ou futuro
Senti um abraço forte, já não era medo
Era uma coisa sua que ficou em mim, que não tem fim
De repente a gente vê que perdeu
Ou está perdendo alguma coisa
Morna e ingênua
Que vai ficando no caminho
Que é escuro e frio mas também bonito
Porque é iluminado
Pela beleza do que aconteceu
Há minutos atrás


6 thoughts on “Poema”

  1. gostei do new jesus aqui… e linda essa música. linda a história. bacana você ter gravado. no final das contas todos nós devemos tudo (a vida) a nossos avós. b-JUs

  2. Só vim aqui contar uma história: eu sempre, sempre, sempre, chego na faculdade contando alguma coisa que eu li aqui e da qual eu ri muito. Sim, porque você é uma das pessoas que torna o meu dia mais suportável (sem nenhuma rasgação de seda, viu?). Aí, uma amiga, aliás, minha melhor amiga, resolveu entrar aqui. Pronto. Agora a menina é mais uma viciada em Marco Aurélio. Ela entrou em todos os arquivos do Emotionrélio e leu boa parte do Jesus…
    Ainda não leu o Chicote porque não teve tempo, mas já está se programando para tirar um dia inteiro só para ler todos os seus arquivos (coisa que eu já fiz há algum tempo). Ela me disse que, ontem, estava com preguiça de levantar da cama e só levantou porque lembrou que tinha que ver se já havia caras novas no Emotionrélio. Depois, à noite, só falavamos (e riamos) disso…
    Bem, então é só. Vim aqui só para mostrar quantas pessoas você vai deixar órfãs de risadas e bom-humor se, num surto neurastênico qualquer, resolver acabar com isso aqui…

    Beijos

Diga aí!