Parcerias 6

Estava vendo agora há pouco o Horário Eleitoral Gratuito. No programa do PT, a Marta apareceu pedindo voto para o Genoíno assim:
— Com o Genoíno governador, a prefeitura vai ter o apoio que precisa do governo do estado. Aí sim eu vou ter um parceiro de verdade. E isso faz toda a diferença.
Tudo bem, eu sei que ela estava falando de parceria administrativa. Mas, fala a verdade, não parece uma indireta para o Suplicy? Essa Marta se entrega… Antes aparecia dizendo:
— Para presidente, vote Lula. Para governador, no Genoíno
Ela dizia essa parte, “no Genoíno”, com aquele tom de voz de quem diz “é claro!” e fazendo um gesto com as mãos espalmadas a uns 30 centímetros de distância uma da outra. Parecia que estava dizendo: “Pra governador, no Genoíno. É lógico! Olha o tamanhão!”

Jogatina 3

Dia desses o ¡Kibe Loco! me disse no ICQ que ia lançar um jogo que era a minha cara. Fiquei curialho pra caroso. Aí hoje ele me enviou um email dizendo que o jogo estava no ar. De quebra, o blog está de leiáute novo. Vão lá e conheçam o PacLula.

Será que vai? 5

Estou pensando em terminar o Êxodo antes da viagem.

— Seu filho da puta, o Êxodo tem 40 capítulos, e você ainda tá na metade do 30º! Tá pensando que a gente é trouxa e acredita que você vá escrever dez capítulos e meio em 4 dias???

Calma, calma… Os capítulos 36, 37, 38 e 39 são praticamente uma repetição das instruções que deus passou a Moisés no monte Sinai, só que descrevendo a execução dos trabalhos. Como já sabemos as medidas e materiais com que vão ser feitos o Tabernáculo e seus utensílios todos, acho que não há necessidade de falar tudo de novo. Então economizamos 4 capítulos. Sei não, acho que dá.

O imposto para o Tabernáculo 3

(Êxodo 30:11-16)
— Anotou aí o negócio do altar de incenso, Moisés? Então peraí, que tá tudo uma zona nesse notebook aqui. Deixa eu ver… Ah! O recolhimento do imposto para o Tabernáculo.
— I-imposto? P-pra q-que i-imposto?
— Ô, Moisés, cê acha que é só construir o negócio e depois não tem mais despesas? Precisa de dinheiro pra manutenção do Tabernáculo, bicho.
— Bi-bicho?
— Hum. Escapou. Não sei de onde tirei isso… Bom, vamos lá. O imposto. Sempre que você for fazer o recenseamento do povo de Israel, vai recolher o imposto. No recenseamento só serão contados homens com mais de vinte anos, então só eles pagarão o imposto, que será de meio siclo de prata por cabeça.
— M-meio si-siclo? Q-quanto é i-isso.
— Ai caralho, tem que explicar tudo… Peraí. Meio siclo é… 5,712 gramas.
— T-tá.
— Então cê vai recolher isso aí, e todos vão pagar.
— Co-como você sa-sabe q-que não v-vai t-ter so-sonegação, Ja-Javé.
— Arrá! Fácil! Cê vai dizer que esse é o valor do resgate pela vida deles, que eles têm que pagar para que não lhes aconteça nenhuma desgraça ou coisa assim.
— Po-porra, i-isso é e-e-extorsão!
— Bah, chame como quiser. O que importa é que eles vão pagar direitinho. E eu me lembrarei de protegê-los.
— Vo-você vai n-nos p-proteger de vo-você m-mesmo?
— É isso aí.
— Q-que sa-sacanagem…
— Sacanagem nada, Moisés! Os fins justificam os meios. Fins, meios, começos… Porra! Esse notebook tá uma zona! Olha aqui, achei mais uns arquivos aqui que ainda têm coisa para a construção do Tabernáculo. Veja você… Bom, vai anotando aí.
— A-ai meu sa-saco…

Reações adversas 11

Temendo efeitos indesejáveis, resolvi marcar consulta numa otorrinolaringologista e iniciar meu tratamento. Pra começar, ela me disse que eu tenho mesmo toda a estrutura para ser um roncador: Meu palato é grande, minhas amídalas são grandes, minha campainha é grande. Diz ela que certas pessoas são assim, tendem a ter tudo o que há de pendurado no corpo descomunalmente grande. Não vou discutir com a doutora, não é mesmo? Ainda mais sendo ela uma coroa deliciosa.

Bom, no fim das contas ela me receitou uns medicamentos e pediu para eu retornar depois das minhas (merecidas) férias. Um dos remédios é um tal Claritin D, que quase matou o Pelezinho uma vez, mais por burrice do moleque do que qualquer outra coisa. Por via das dúvidas, no entanto, achei melhor ler a bula. E eis que encontro na parte de “reações adversas” essa pequena lista:

nervosismo, tontura, fadiga, náuseas, distúrbios abdominais, anorexia, sede, taquicardia, faringite, rinite, acne, prurido, erupção cutânea, urticária, artralgia, confusão, disfonia, hipercinesia, hipoestesia, diminuição da libido, parestesia, tremores, vertigem, rubor, hipotensão ortostática, aumento de sudorese, distúrbios oculares, dor no ouvido, zumbido [vou sair zumbindo por aí, caralho?], anormalidades no paladar, agitação, apatia, depressão, euforia, perturbações do sono, aumento do apetite, mudança nos hábitos intestinais, dispepsia, eructação, hemorróidas, descoloração da língua, vômitos, função hepática anormal passageira, desidratação, aumento de peso, hipertensão, palpitação, cefaléia intensa, broncospasmo, tosse, dispnéia, epistaxe, congestão nasal, espirros, irritação nasal, disúria, distúrbios na micção, nictúria, poliúria, retenção urinária, astenia, dor na coluna, cãibras, mal estar e calafrios.

Porra, e o pulso? Ainda pulsa?

Mas o melhor mesmo vem na seção “Pacientes Idosos”:

Em pacientes acima dos 60 anos, os agentes simpatomiméticos [uia!] podem causar reações adversas como confusão, alucinações, depressão do SNC e morte.

Viram? A morte não é mais tudo aquilo. Agora é só uma reação adversa.

Absurdo 5

Sei não, sei não. A mulherada anda fazendo aí um tipo de alisamento com maior durabilidade chamado “escova japonesa”. Enquanto isso, no Japão, as mulheres fazem de tudo para encrespar o cabelo. Será que lá isso é chamado “permanente brasileiro”?

Expectativa 3

Toda a equipe do Jesus, me chicoteia! está em polvorosa: Nosso inimigo diz que vai sair do anonimato, e até já publicou um endereço de e-mail. Tá ficando bom esse negócio!

O altar de queimar incenso 2

(Êxodo 30:1-10)
— Ai, Moisés, comi pra caralho… Deixa eu ver se sobrou uma coisinha pra você. Hum… Hum… Aqui. Toma, pode comer tudo.
— U-um ta-talo de a-aipo???
— Ué, foi só o que sobrou. Não reclama, pelo menos é saudável. Vai roendo seu aipo aí.
— Po-porra…
— Bah, Moisés! Deixa de ser resmungão. Vamos agora ao altar de incenso. Vai ser de acácia também. Terá noventa centímetros de altura e a superfície será um quadrado de quarenta e cinco centímetros de lado. Nos quatro cantos haverá pontas, que formarão uma só peça com o altar, assim, ó. O resto é o de sempre: Tudo revestido de ouro, com um remate de ouro em volta, argolas e cabos para o transporte. O altar vai ficar em frente à cortina que divide o Tabernáculo. Todo dia de manhã e à noite Arão vai queimar incenso lá, pra perfumar o ambiente. E vê lá, hein? Não vão fazer confusão com o altar dos sacrifícios. Esse altar é só para o incenso.Uma vez por ano o Arão vai purificar o altar pondo sangue do animal sacrificado nas quatro pontas.
— Ta-tava de-demorando pra fa-falar em s-sangue…
— Não torra, Moisés.

Ufa! 1

Porra, finalmente o Carlos voltou. Já estava com crise de abstinência do JORNALECO!

Festival

Hoje, no Emotionrélio: Festival Helio Chiaradia. Não percam!